Jornalismo de contexto na pandemia

Por Ana Paula Pimenta.

Diante das incertezas da atual crise sanitária, a sociedade procura respostas por meio de variadas formas, e o jornalismo, logicamente, possui importante papel neste  contexto: além de informar, deve também lutar contra a desinformação. Em vista do considerável fluxo de informações que a todo momento chegam a milhares de pessoas por variados meios e suportes midiáticos, pode tornar-se difícil ao leitor discernir quais fatos e dados correspondem à verdade. 

Neste sentido, deve-se garantir a circulação democrática e abrangente de informação segura e de qualidade. Pensando nisso, ainda no dia 12 de março, época em que a situação epidêmica no Brasil era considerada baixa, jornais como a Folha de S. Paulo e Nexo – que oferecem conteúdo pago e sob assinatura – liberaram, para acesso livre e gratuito, as matérias e reportagens que abordassem o coronavírus no Brasil.

Desse modo, este breve ensaio busca mostrar de que modo a contextualização no jornalismo pode funcionar como uma aliada no combate à desinformação, buscando oferecer conteúdo e informação de qualidade. O chamado jornalismo contextual/contextualizado tem por objetivo prover contexto às notícias, de modo a proporcionar maior compreensão do fato noticiado. 

Em tempos de pandemia, a disponibilidade do jornalismo contextualizado pode vir a funcionar como um importante suporte no fornecimento de informações de qualidade. A partir do momento em que o jornalista procura ir além do que a notícia dispõe previamente – ou seja, as informações do lide, configurando os principais e primeiros pontos do relato –, ele oferece ao leitor um poderoso acervo acerca do acontecimento, que abarca não apenas as informações básicas, mas atinge também contextualização histórica e social do fato, dados extras para consulta e interpretação de especialistas.

Um exemplo de conteúdos jornalísticos que buscam prover contexto às informações relacionadas à Covid-19 é o index produzido pelo Nexo Jornal. Ao acessá-lo, o leitor terá disponível em um primeiro plano as principais informações acerca do vírus, tais como: o que é a Covid-19, quais os sintomas, transmissão e letalidade. A seguir, tem-se disponível para acesso todas as reportagens produzidas pelo portal que possuem a pandemia como pauta. 

É interessante chamar atenção para alguns destes conteúdos que possuem abordagem diferenciada acerca do assunto. Algumas matérias, por exemplo, tratam de pontos como maternidade em época de pandemia; como a pandemia ressuscitou antigos setores comerciais (como os cinemas drive-in); e a relação entre a pandemia e a redução no número de transplantes de órgãos. Trata-se de conteúdos que abordam o coronavírus, mas procuram também oferecer outros pontos de percepção e debate. 

Voltando ao exemplo da pandemia da Covid-19, o Nexo Jornal, além de trabalhar com o lide da notícia e os pontos principais do relato, também apresenta o que está por detrás da pandemia; quais outros setores estão sendo afetados, além do econômico e da saúde; o que o leitor também precisa saber e não está sendo iluminado pela grande mídia convencional. Ao oferecer contexto, o jornal oferece conteúdo além do que é geralmente publicado, o que pode favorecer a uma melhor compreensão do acontecimento, algo tão importante para a manutenção de uma sociedade informada em tempos tão incertos quanto os vivenciados durante uma pandemia.

Por fim, o portal criou e disponibilizou também uma newsletter diária, que é enviada por e-mail de forma gratuita a quem se interessa. O “Boletim Coronavírus” abrange as principais matérias publicadas pelo Nexo, além de reunir conteúdos externos de outros sites e jornais que trazem novos e importantes dados acerca da pandemia no Brasil e no mundo.Já finalizando este ensaio, gostaria, então, de indicar o Nexo Jornal como fonte de informação, crendo que ele cumpre bem seu propósito de informar e contextualizar a população. Em especial, deixo aqui três materiais produzidos pelo portal que trazem diferentes e importantes abordagens acerca da pandemia: um especial sobre o SUS, que mostra o surgimento e desenvolvimento ao longo dos anos desse sistema de saúde no Brasil; uma reportagem que explica, por meio de gráficos, qual a eficiência das máscaras produzidas por diferentes materiais; e uma matéria que explica como funciona o processo de produção e distribuição de vacinas.

Ana Paula Pimenta é mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da PUC Minas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *